segunda-feira, 26 de junho de 2017

Escrita rupestre


"Dantes a escrita obedecia à etimologia, com raízes no grego e latim, hoje é de carácter fonético. Dantes fazia-se para a elite, hoje faz-se para o povo, para toda a gente. Todos têm que saber escrever."
Fernando Cristovão, in Antena2,  17/06/2017

Foi assim, grosso modo e de passagem, que um dos mentores do AO90 explicou a alteração ortográfica. 
Simplicidade, "facilitismo", baixar o nível até que os incapazes, se tornem capazes de escrever Português. E por aí abaixo vamos, as novas tecnologias e redes sociais dão uma ajudinha 😉

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Mancha de chocolate no sofá?


- Quem comeu chocolate no sofá? Foste tu? E tu? E tu?
Ninguém. Mas o facto é que a nódoa não estava lá ontem, e hoje está. Ou antes, estava; porque com este truque do algodão embebido em álcool saiu como que por magia!
Mais dicas aqui.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Prescrição?




Na nossa cultura tudo o que está interiormente desequilibrado, se trata com o que o exterior nos oferece; uma depressão? O remédio está na Farmácia. Um desgosto de amor? Encontra-se o refrigério numa sucessão de shots. Infeliz com a vida? Muita televisão. Uma insatisfação que não passa? Apesar do emprego bem remunerado, da família bonita, casa e carro invejáveis? Rumo ao shopping!

Ainda ninguém o tinha dito assim tão claramente, sem recurso a subterfúgios, mas suponho que agora chegamos ao momento em que já se tendo visto de tudo, a publicidade faz dos jogos psicológicos cartaz. E torna a mensagem subliminar slogan, pois já ninguém se espanta ou indigna; antes lhe acham graça, é sinceridade, para variar!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Taça de Buda #Vegetariana


Mas afinal o que é isto do "Buddha Bowl"? À letra, a Taça de Buda, não é nada mais, nada menos, do que uma taça cheia de coisas boas! 
Requer alguma preparação antecipada, como por exemplo, fazer os germinados, e a penca. De resto é só lavar, cortar e atirar para dentro da taça bendita.
Um festival de sabores impossível de descrever, só mesmo provando. Fica o desafio!

A Taça de Buda 
Ingredientes:
Alface
Tomates cereja
Rabanetes
Batata doce
Pencas com folhas pequeninas
Pepino
Germinados de girassol
Tofu
Mirtillos

Como fazer: 
Escorrer o tofu e cortá-lo aos cubos; temperar com molho de soja e sal marinho, e deixar a marinar cerca de 20 minutos.
Cozer as pencas em água e sal, escorrer, cortar em tiras e saltear em azeite e alho. 
Fritar a batata doce, em azeite suficiente para cobrir a sertã.
Saltear o tofu escorrido, em azeite, virando de todos os lados. 
Cortar a alface em juliana, os tomates cereja ao meio, os rabanetes às rodelas. 
Colocar no fundo da taça a alface, e todos os ingredientes restantes. Sal e um fio de azeite. Decorar com os germinados e mirtillos. 

As variantes para taças de Buda são imensas, eis o diagrama, do The Good Hearted Woman:

E outras propostas no BuzzFeed, porque nada melhor do que o calor para comer estas taças cheias de coisas boas, e frescas!

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Os animais fofinhos💓 das redes sociais




À primeira vista, toda a gente gosta de vídeos fofinhos; animais pequeninos a fazer acrobacias, ou mímicas, ou a dançar, ou a embalar um bebé, ou seja lá o que for, são irresistíveis! Nas redes sociais são campeões em likes, corações e partilhas, e é precisamente para isso que são feitos. 
Todavia, se pensarmos bem, a maioria desses animais estão a ser sujeitos a posturas ou situações que não lhes são naturais, e que lhes exigem um esforço tremendo. Quer dizer, um cão a caminhar em duas patas, vestido como gente, e uma mochila às costas é completamente anti-natural. Mas as pessoas riem-se, acham montes de piada. E gostam e partilham. Só que entretanto, aquele animal foi sujeito a um treino coercivo que incluía pancada ( também circula por aí este vídeo), para que uns míseros segundos de filme dessem protagonismo ao autor. 
Ou então, cachorrinhos que mal abriram os olhos, são manuseados como se fossem bonecos, sentados como gente grande, a dizer adeus com as patinhas, quando tudo o que querem, e precisam, é de dormir enroladinhos na mãe. 
Mas, novamente, as pessoas não pensam para lá da fofurice. E quando eu comentei, numa dessas partilhas, que achava uma tortura o que estavam a fazer àquele cachorrinho, uma miúda respondeu-me que ninguém estava a fazer-lhe mal! Porque mal, é bater, não é sujeitar outro ser a caprichos estapafúrdios, obrigando o cão recém-nascido a uma postura violenta, por ser desadequada à sua idade e morfologia. 

Animais fofinhos comportam-se espontaneamente, e nessas ocasiões, se der para fazer um vídeo, óptimo! 
O meu vídeo não é fofinho, é descaradamente publicidade enganosa, mas foi o que se pôde arranjar!

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Dia Mundial do Ambiente - e eu não quero ir para Marte!

 
Via

Hoje é Dia Mundial do Ambiente, e para celebrar a data ficamos a saber que se todas as pessoas do mundo usassem os recursos do planeta como os portugueses, eles acabavam hoje. Calha que nem ginjas, para festejar o dia! 
Talvez noutros países, o consumo dos recursos seja ainda mais acentuado. Mas isso realmente não interessa nem poderá servir de desculpa; consumir o que o planeta produz num ano antes deste terminar, é consumo exacerbado e incomportável, para a Terra. E como um ecologista afirmou num documentário que vi há alguns anos, a Natureza é sábia, quando se depara com algum problema, ela trata de o solucionar. É bom de ver, que o problema aqui somos nós, a raça humana.

O Duarte dizia-me ontem que daqui a alguns anos, será possível comprar um bilhete (de 240.000€!) para ir a Marte, em turismo. Fez-me lembrar aquele outro projecto, de enviar um grupo para o mesmo planeta, só com bilhete de ida, havendo desde já há alguns anos cerca de 100.000 candidatos. O objectivo é instalar uma colónia a fim de preparar o planeta para receber mais terráqueos.
São alternativas, dizem uns, são diversões tresloucadas, digo eu. Quando temos aqui o planeta perfeito para nós, idealizamos colonizar planetas hostis à vida humana, sendo-nos esse esquema servido como sonho maior da humanidade! 

Por que não há-de ser o projecto, tratar cuidadosamente do nosso planeta? Com a responsabilidade de quem sabe que outro planeta igual a este não existe, como plano B. Parece-me muito mais simples, mais saudável, menos dispendioso e menos arriscado. 
Mas não, querem-nos impingir a ideia de que a conquista do espaço nos está destinada, e que é por esse caminho que devemos ir. E que entretanto, nos comportemos tão bem como até agora, alegres consumidores, inconscientes das consequências de um estilo de vida predatório, que enriquece escandalosamente lobbies, corporações e multinacionais. 

Hoje é o Dia Mundial do Ambiente, e embora cada vez mais pessoas mudem a forma de estar neste planeta, sintonizando-se com a natureza e respeitando o planeta como lar único e perfeito, ainda não chega. Temos que o fazer massivamente. E agora. 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Dia Mundial da Criança - Até quando?

 
Via

Aos meus filhos, custa-lhes acreditar quando digo que a infância é a melhor fase do ser humano. Apesar de reconhecerem que tiveram uma infância feliz e privilegiada. Ainda assim, pensam que em adultos poderão comprar o modelo de computador que realmente querem, comer a quantidade de comida que lhes apetecer, ingerir doces sem controlo parental, não ir à escola, não ter trabalhos escolares, etc. E que tudo isso lhes prova que apesar da infância feliz, a idade adulta será ainda melhor. 

Porém, quando se trata de comemorar o Dia Mundial da Criança não deixam de fazer alertas de véspera, para que eu tenha tempo de lhes preparar algum mimo. É que mesmo não sendo já crianças, e disso tendo consciência, fazem gosto em manter as benesses dessa idade. Riem-se e dão-me justificações esfarrapadas, como "eu ainda sou muito neném!", e eu rio com eles, encantada por os ter ainda assim, a modos que "pequenos", mais um pouco. 

É que a infância passa rápido. Se a vida são três dias, a infância, cada vez mais encurtada, caberá em cinco minutos. E por isso temos que aproveitar os momentos, todos os dias. 

Para começar bem o dia, reforcei o pequeno-almoço de hoje que contemplou, leite, batido de frutas, ovos mexidos, torradas de pão com cereais, compotas, croissants com chocolate caseiros, e granola. Uma mesa bem composta, para pequeno-almoço, lanche ou refeições principais, poderá não ser nada de fantástico, mas é diferente e melhor, já cheira a festa. 
E como nós bem sabemos, não há como os "miúdos" para desfrutarem destes pequenos mimos!